31
Ago 10

Chegamos ao Colombo e o David agarrou na minha mão.
-Anda cá. – Fomos em direcção de uma loja de bebés. – Depois vínhamos os dois comprar aqui as coisas. Cinco vezes!
-Não! Já chega desta conversa! Vamos ver o que o futuro nos reserva.
-Eu já sei, cinco bebés.
-Ai, viras-te a bruxo foi?
-Não mas sei.
-Vamos à Worten.
-Está bem…
Entramos na worten e David já olhava para os blackberry’s outra vez.
-Não!
-Mas é bonito.
-David não!
-Ok. Não digo mais nada. Escolhe tu.
-Quero aquele, o X3.
-De certeza?
-Sim, tem teclas. É perfeito.
-Preferia que comprasses o Blackberry. – Suspirei, já estava farta da conversa do David. Olhei para o lado e vi um telemóvel lindo.
-David olha aquele! É lindo!!
-O que é isso? Coisa tão feia!
-É um Sony Ericsson. O Jalou! É LINDO!! Ó, é TMN.
-De certeza que há livre.
-Mas é o dobro do preço. Levo o X3.
-Qual, o azul ou o vermelho?
-Pergunta tão obvia David.
-Ok… Um vermelho a sair. – Soltamos os dois uma gargalhada. – Não queres ir comprar um jornal?
-Não! David já chega…
-Ok, era só porque o N97 também é bonito e tem teclas!
-Não gosto do preço.
-Ah! Do preço! Mas gosta do telemóvel!
-Não, gosto mais do X3 vermelho.
-Que posso eu fazer… Vamos lá compra-lo…
-E vamos compra-lo porque tu pediste-me muito se não primeiro juntava dinheiro.
-Ai que chata! Eu compro-te o que eu quiser!
-Eu posso é recusar.
-Eu comprei-te o TT e não recusas-te.
-Mas o TT foi um caso à parte.
-PorquÊ?
-Porque foi!
-Se aceitas-te o TT, aceitas tudo.
-Não!
-Aceitas sim!
-Não aceito não!
-Se eu fizer um beicinho não aceitas?
-Primeiro eu só aceitei o TT porque tu andas-te uma semana inteira a chatear-me. Segundo, eu posso recusar o que eu quiser!
-Está bem – Chegou a nossa vez de ser atendidos.
-Boa tarde! Queria comprar um Nokia X3.
-Boa tarde! –Respondia David – Esqueça o X3 e traga antes o N97.
-Não! Eu quero o X3 eu vou ter o X3.
-Tu queres o X3 por causa do preço. O N97 se faz favor.
-Não! O X3!
-N97!
-X3!
-N97!
-X3!
-Desculpem interromper a vossa discussão mas há pessoas à espera.
-Desculpe, é um X3.
-E traga um N97 também. – O empregado foi buscar os telemóveis.
-Porque raio pedis-te o N97?
-Se não quiseres que eu compre o N97 para ti eu compro os dois!
-Estás a brincar?
-Não.
-Isso é chantagem!
-Não é não.
-Se não comprares apenas e só o X3 eu saiu de casa.
-Não tens coragem para o fazer.
-Ai não?
-Não.
-Pois não… Mas, vou falar com a tua amiga.
-Ok, ganhas-te. Teimosa! Chata! Cabeça dura!
-Obrigada.
-Afinal é só o X3.
-És um amor.
-Chantagista.
-Só elogios hoje! Que bom!
David deixou de me responder. Entregou o cartão e pagou. Sempre em silêncio. Sabia que estava amuado. Não me importei, já sabia como ele era. Agarrei no saco com uma mão e agradeci ao empregado e ele fez o mesmo. Dei a mão a ele e puxei-o para fora do Colombo a caminho do estádio.
-Tem que ser já?
-Sim.
-E se eu telefonar?
-Está bem…
-Dona Catarina! – Ai agora é que ia ser bonito.
-Doutor Rogério! Como está?
-Dei pela sua falta na aula.
-Deu? A sério?
-Sim, faltou alguém a dizer que o trabalho podia ser um pouco mais complicado.
-Impressionante! – David tentava não rir mas dava para ver pela cara que fazia.
-No entanto há um projecto só para si.
-Ai há?
-Sim, e vai-se divertir imenso.
-Diga então.
-Os seus colegas só fizeram a experiencia e terão que fazer um relatório breve. Você tem que ir a uma empresa há sua escolha e fazer um relatório dois trabalhos práticos à sua escolha.
-Empresa? Relatório? Dois?
-Vinte mil palavras de mínimo.
-Vinte mil?
-Senhora Catarina, foi um prazer estar consigo. O prazo é até dia quinze de Fevereiro.
-Óptimo! O prazer foi todo meu! Adeus Senhor Rogério. – O “doutor” Rogério foi-se embora, ainda não queria acreditar e David ria-se que nem um perdido. – David não tem graça.
-Tem sim. Se visses a tua cara.
-Não tem não. E agora?
-Podes ir ao hospital dos Lusíadas. O Benfica tem um patrocínio com ele e de certeza que eles fazem experiências lá.
-O problema não está no sitio mas sim no numero de palavras que o homem quer! Vinte e uma?! Mas eu virei a escritora? E no mínimo! Deve querer saber o que levei vestido para a experiencia, a cor da minha blusa, das minhas calças, das minhas meias, do meu soutien, das minhas cuecas! – Aproxima-se um miúdo pequeno de sete, oito anos.
-Olá David, podes me dar um autógrafo?
-Claro. – David dava o autógrafo e falava com o pequeno rapaz e reparei no jeito que ele tinha a lidar com miúdos. O problema dos cinco filhos não estava na dor, nem na estética, nem no David. Mas sim em mim. Adora miúdos mas os filhos eram uma grande responsabilidade e eu não me sentia pronta para isso… Só tinha vinte e um anos e estava quase a fazer vinte e dois. O rapaz despediu-se e despedi-me dele também. Agarrei na mão dele outra vez.
-Não achas que somos demasiado novos?
-Novos? Porque dizes isso?
-Sei lá, vou fazer vinte e dois e tu vais fazer vinte e quatro… Se calhar, somos demasiado novos.
-Então e quando pensava começar a fazer família?
-Sei lá, eu em miúda sonhava casar aos trinta e fazer família aos trinta e cinco. Sonhava em casar com o director do Hospital da Luz e ser médica lá. Sonhava em visitar toda a Europa. Sonhava em ter uma casa em Lisboa e ser independente.
-O problema não está em ter filhos ou não, casar ou não. O problema está em eu ser um jogador de futebol e não um médico conhecido que seja director de um hospital.
-Não David, nada disso. Mas era a minha ideia de casamento perfeito.
-E o nosso não pode ser perfeito?
-O nosso vai ultrapassar o perfeito. O problema está nas idades.
-São só números.
-Não são só números. A cabeça vai mudando com a idade. E eu não sei se estou pronta para casar ou para outras responsabilidades. – Reparei no olhar do David, era triste. – Que se passa?
-E se eu me quiser casar contigo?
-Eu não me importo porque também quero, mas as idades não serão um problema?
-Se tivéssemos dezasseis anos, talvez. Mas já somos maiores e vacinados.
-Sim, mas somos responsáveis o suficiente para o fazer?
-Achas que não?
-Não, mas o casamento é algo… Para sempre, entendes? Eu quando me casar contigo quero que seja para sempre.
-E qual é a diferença entre casar agora ou casar depois?
-Estás a pensar em pedir-me em casamento agora?
-Eu não! Mas daqui a uns anos ou dois. Qual é o problema de ser daqui a dois anos ou daqui a dez?
-Temos mais cabeça.
-Mas o casamento são só papéis Catarina.
-Eu sei, mas é diferente.
-Queres casar comigo?
-Sim.
-Então o que te está atormentar.
-O que as pessoas me dizem.
-E o que te dizem?
-Que somos demasiado jovens.
-Então vamos provar o contrário! Que embora jovens, o nosso amor supera tudo e já provamos isso.
-Concordo. Agora, vamos ao fun center? Já não vou lá há tanto tempo e nos próximos dias vou estar só com a cabeça enterrada em livros e no computador.
-Claro! Trouxeste o cartão?
-Pus na tua carteira no outro dia.
-Ok, vamos então. Acho que ainda tenho cinco euros lá.
-Vamos então. – Fomos para o fun center. Jogamos bowling e a umas máquinas de jogos que estavam lá. Era impossível ganhar ao David, quer fosse no bowling ou nas máquinas. Eu mal conseguia lançar a bola com força. Ele bem que me tentava ensinar mas era missão impossível. Eu tinha uma grande deficiência, não conseguia fazer vários movimentos ao mesmo tempo. E correr com uma bola na mão de uma determinada maneira e depois lança-la era um perigo. Não tinha jeito, era trapalhona. Depois fomos para as máquinas mas também era para esquecer. Ganhava um jogo em dez e como só jogamos dez vezes, só ganhei um. O habitual. Como já era tarde comemos no Colombo.
-O que queres comer?
-Por mim tanto me faz.
-Sabes, apetecia-me de ir comer ao kilo.
-Foi lá onde tudo começou.
-Pois foi. Mentira! Na verdade foi ali na esquina quando bates-te no Ruben.
-Mas a verdade é que quando começamos a falar foi ali naquela mesa a comer comida dali.
-Está bem, então vamos. – Fomos buscar a comida lá e comemos exactamente na mesma mesa.
-Fazemos este mês seis meses para o mês que vem.
-Eu sei. Já passou algum tempo.
-Espero que passe muito mais. – Dizia o David. – Achas que aguentamos trinta anos?
-Trinta? Não. Mas cinquenta, já faz parte dos meus planos.
-Ainda bem.

publicado por acordosteusolhos às 14:05

comentários:
x3, n97... por mim eram os dois!!! xD


mais***



http://fall-for-you23.blogspot.com/
rita (miscarúúú) a 31 de Agosto de 2010 às 14:18

Depois dos bebés, os telemóveis. xD Muito me ri ao ler. Aqueles dois são mesmo engraçados. Quero maais! :D
- Sara a 31 de Agosto de 2010 às 15:27

Este casal é mesmo de rir, são mesmo perfeitos um para o outro :D

Fantástico mesmo***

Bjinhos
a 4 de Setembro de 2010 às 17:10

mais sobre mim
arquivos
2011

2010

arquivos
2011

2010

Música da Mena
Deixo aqui a nossa GRANDE cantora do chat, a Mé :b
Agradecimentos
Queria agradecer a todos que lêem a minha fan fic. Queria também agradecer ao blog http://23davidluiz.blogspot.com/ por publicar a minha fan fic e também ao blog http://david-luiz-fans.blogspot.com/. Muito obrigada a todos *
Críticas
Façam comentários com críticas, sejam elas positivas ou negativas. É com os erros que se aprende ;)