01
Set 10

Acabamos por comer no Fórum Almada, era perto e foi o nosso destino, de seguida fomos logo para casa, eu fazer o relatório e o David dormir.  Já estava a metade do relatório e tinha que admitir, as cunhas do David eram óptimas. Já eram sete horas e ainda não me tinha vestido nem feito o jantar. Fiz um esparguete à bolonhesa e fui tomar banho e vestir. Cheguei ao quarto o David ainda estava ferrado.
-David, David… Acorda – Disse ao mesmo tempo que lhe dava festinhas na cabeça a ver se acordava – Vamos comer que eu tenho que ir embora daqui a 20 minutos.
-Ok – David acordava e espreguiçava-se, os braços dele esticados faziam largura da cama – Que vai ser o jantar?
-Esparguete à bolonhesa. Gostas não gostas?
-Sim, tudo o que tu fazes é muito bom!
-Não abuses. Levo os sapatos altos pretos ou os brancos baixos?
-Os brancos baixos.
-Não achas que fico muito baixinha?
-Não, eu não acho. Ficas óptima. E não achas que estás muito…
-Muito?
-Estás com muita pele à mostra.
-Tenho um decote apenas e uma saia e dizes que estou com demasiada pele à mostra?
-Sim.
-Estás a brincar só pode. O decote nem é assim tão grande.
-É sim.
-David, que se passa? – Calçava os sapatos brancos rasos – Tens andado um pouco estranho.
-Nada.
-Conta-me – virei-me para ele que ainda estava sentado na cama.
-Têm vindo novas propostas e depois esta semana foi um pouco complicada. A Luísa, aquele outro rapaz, tu começares a trabalhar… Foi muita coisa.
-Não precisas de te preocupar. Se saíres do clube eu vou contigo, já sabes disso. E essa história da Luísa e do Rui, não vale a pena. O que importa somos nós os dois e mais ninguém. Depois o trabalho é uma diversão, nada a sério.
-Mas gostas-te de fazer e estás a gostar. Não te posso tirar isso.
-Estás a comparar um trabalho que tenho agora com o nosso amor?
-Não, não estou a dizer isso mas não quero te ver triste.
-David eu não vou ficar triste, se estou a teu lado ficarei sempre contente, devias saber isso. Tu completas-me, fazes-me feliz. Sem ti, não sei o que era de mim…
-Eras uma pessoa feliz. Normal.
-Contigo é diferente, a minha vida contigo é uma fantasia. Um sonho. Às vezes penso que não é realidade.
-É realidade sim e nem sabes o quanto estou feliz.
-E eu meu amor, e eu. Agora vamos comer? Ainda queria comer contigo…
-Claro… Vamos.
-Tenho só dez minutos.
-Então vamo-nos despachar.

20:35

-Eu sei, estou bastante atrasada mas estava um transito horrível.
-Despacha-te Catarina! Vai te maquilhar.
-Estou já lá.
Ninguém estava preocupado mas José era demasiado organizado, tinha que ser tudo às horas que ele queria.
-Catarina amanhã às nove horas aqui, depois vais mais o Eduardo e o Gonçalo no carro da BenficaTV e voltam quando o autocarro vier. Não há trocas com o autocarro – esta eu percebi, dirigida para mim, obrigada. – Vamos lá malta…
O José era o que eu costumava chamar, jovem sem vida própria. Ele tinha trinta anos e só vivia daquilo. Perguntava-me se ele tinha alguma namorada, mas a resposta era simples, não. As meninas da maquilhagem eram coscuvilheiras e ainda bem, pude saber algumas coisas. A rapariga que apresentava o programa das catorze horas andava atrás do Nelson Évora, que tinha acabado com a Catarina Urbani. Uma rapariga que sempre tive muita pena, parecia tão vulgar.
-Então e tu querida? Como vai o namoro com o David?
-Bem, cada vez mais unidos.
-Hum… Vejo alguma desilusão nas tuas palavras…
-E vês bem.
-Então?
-Às vezes, gostava que o David avançasse. Vocês sabem, o casamento…
-Queres casar?
-Sim. É um sonho e ele fala disso mas não há pedidos nem nada. Sinto-me por parte, desiludida. Penso que ele não quer isso.
-Catarina, vamos embora, a despachar. – Interrompia José.
-Vou já. Desculpem meninas a conversa estava a ser muito boa mas tenho de ir trabalhar. Adeus.
-Adeus Catarina. Boa Sorte.
-Obrigada.
Sai da sala da maquilhagem e fui para o estúdio, sentei-me na cadeira que estava atrás do balcão onde ia apresentar o programa.
-Falta cinco minutos, vamo-nos despachar. – Gritava José que estava preocupado com as horas. – Catarina põe o auscultador.
-É para já.
“Consegues ouvir”
-Sim consigo.
“Já disse para apenas acenares”
-Mas o programa não está no ar.
“Faz o que eu te digo, ainda crias maus hábitos” Acenei. Não queria mais complicações.
“Queres fazer o teste?” Acenei que não. Os nervos já não me controlavam.
“Falta um minuto. Estás bem?” Acenei novamente que sim. Já estava farta de acenar.
“Já agora, estás muito bonita” Soltei um pequeno sorriso, era um elogio tinha que agradecer.
“Trinta segundos” Abanei o cabelo, olhei para as pessoas que estavam em meu redor. Ia começar.
“Catarina em dez, nove, oito, sete, seis, cinco, quatro, três…”
-Boa noite e sejam bem-vindos ao Benfica 21 horas…

publicado por acordosteusolhos às 21:59

comentários:
Muito bom! Continua!
Lindo mesmo.
Catia a 1 de Setembro de 2010 às 22:26

''-Estás com muita pele à mostra.'' - Ahah, o que eu me ri com isto. xD
Casamento *-* Era lindoo!
Maaaais Catarina ;) Beijinhos!
- Sara a 1 de Setembro de 2010 às 22:27

esse josé... ummmmm, anda a fazer elogios a mais... vamos ver o que sai daqui!!!

mais***


http://fall-for-you23.blogspot.com/
rita (miscarúúú) a 2 de Setembro de 2010 às 00:09

muito bom!
Fabi a 2 de Setembro de 2010 às 01:00

Muitos parabens :D
lola a 2 de Setembro de 2010 às 15:04

mais sobre mim
arquivos
2011

2010

arquivos
2011

2010

Música da Mena
Deixo aqui a nossa GRANDE cantora do chat, a Mé :b
Agradecimentos
Queria agradecer a todos que lêem a minha fan fic. Queria também agradecer ao blog http://23davidluiz.blogspot.com/ por publicar a minha fan fic e também ao blog http://david-luiz-fans.blogspot.com/. Muito obrigada a todos *
Críticas
Façam comentários com críticas, sejam elas positivas ou negativas. É com os erros que se aprende ;)